|   Jornal da Ordem Edição 2.945 - Editado em Porto Alegre em 17.11.2017 pelo Departamento de Comunicação Social da OAB/RS
|   Art. 133 - O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. Constituição Federal, 1988
NOTÍCIA

25.07.07  |  Internacional   

Presidente búlgaro indulta médico e enfermeiras acusadas de contaminar crianças com vírus HIV

O presidente da Bulgária, Georgi Parvanov, assinou ontem (24) um decreto de indulto às cinco enfermeiras e ao médico que haviam sido condenados à prisão perpétua na Líbia, e que chegaram esta manhã a Sófia. Eles foram condenados por terem contaminado crianças com o vírus HIV.

O ministro de Relações Exteriores búlgaro, Ivailo Kalfin, anunciou o indulto presidencial num breve ato no aeroporto de Sófia, 45 minutos depois de aterrissar o avião com as enfermeiras e o médico. Kalfin leu um comunicado afirmando que o chefe de Estado da Bulgária "está convencido da inocência dos trabalhadores".

Ele agradeceu à comissária de Relações Exteriores da União Européia, Benita Ferrero-Waldner, à mulher do presidente da França, Cecilia Sarkozy, e aos governos da Alemanha, Grã-Bretanha e Holanda, "que fizeram muito" pelo retorno a Sófia dos seis voluntários. "O decreto entra em vigor a partir do momento da assinatura", disse o procurador-geral, Boris Velchev, em declarações à imprensa.

"Quero recuperar minha vida como era há 10 anos", declarou à imprensa a enfermeira Kristiana Valcheva, principal acusada no julgamento pela suposta contaminação com aids de mais de 400 crianças líbias. Ela denunciou ter sido torturada para confessar sua culpa. "Sei que sou livre, sei que estou na Bulgária, mas ainda não acredito", disse Kristiana.

As enfermeiras e o médico búlgaros, foram condenados inicialmente à morte por contaminar centenas de crianças com o vírus da aids. Entretanto, em 17 de julho, o Conselho Superior de Justiça da Líbia revoga as penas capitais, que comuta para prisão perpétua, depois de as famílias das crianças renunciarem à exigência, tendo recebido cada uma delas uma indenização de US$ 1 milhão. O processo durou mais de oito anos.

Rodney Silva
Jornalista - MTB 14.759

BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Flickr
Istagram
Facebook
Twitter
RÁDIO OAB/RS
Rádio OABRS
MAPA DO SITE
Abrir
(51) 3287.1839
Redação JO: Rua Washington Luiz, 1110, 13º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS   |   comsocial@oabrs.org.br
© Copyright 2017 Ordem dos Advogados do Brasil Seccional RS    |    Desenvolvido por Desize

ACESSAR A CONTA


OABRS:   *
Senha:   *
Esqueci minha senha  |  Novo cadastro