|   Jornal da Ordem Edição 2.949 - Editado em Porto Alegre em 23.11.2017 pelo Departamento de Comunicação Social da OAB/RS
|   Art. 133 - O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. Constituição Federal, 1988
NOTÍCIA

02.09.11  |  Obrigações   

Operador acusado de desvio de caixa será ressarcido

A empresa ajuizou inquérito judicial para dispensar o empregado e ainda o expôs a constrangimento perante seus colegas.

Um operador de caixa dos supermercados Prezunic receberá uma indenização de R$ 10 mil por dano moral, depois de ser dispensado pela empresa sob a alegação de ter cometido falta grave. A 3ª Turma do TRT1 considerou que a conduta do empregado não foi intencional e que a empresa agiu com má-fé.

Para explicar o desligamento do empregado, o motivo alegado pelo estabelecimento foi única ausência injustificada ao trabalho e três ‘quebras de caixa’, nos valores de R$ 20,00, R$ 29,49 e R$ 10,00, respectivamente. O empregado possuía estabilidade provisória no emprego, porque era membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), tendo sido eleito pelos demais trabalhadores. Para poder dispensá-lo sem pagar as verbas rescisórias, o supermercado ajuizou inquérito judicial com o fim de provar o desleixo do operador.

O Juízo de 1º Grau condenou o supermercado por considerar que o ajuizamento do inquérito foi desnecessário e ainda expôs o empregado a constrangimento perante seus colegas, pela suspeita de desonestidade que foi lançada sobre ele enquanto ainda estava trabalhando.

Insatisfeita, a empresa interpôs recurso na Justiça. Segundo o relator, desembargador Jorge Fernando Gonçalves da Fonte, houve má-fé por parte do estabelecimento ao ajuizar inquérito judicial desnecessariamente para apuração de fatos que sequer caracterizam falta grave, como uma única e isolada ausência injustificada ao serviço.

Também afirmou que pequenas diferenças no caixa de quem trabalha simultaneamente com dinheiro e com o público são fatos corriqueiros. Para o desembargador, o desaparecimento de quantias ínfimas não significa falta de cuidado, podendo ser consequência da rapidez no atendimento ou da simples queda de moedas no tumulto do comércio.

"Tanto é assim que a própria norma coletiva da categoria prevê a possibilidade de pagamento da verba quebra de caixa a tais funcionários, para desobrigar o empregador de arcar com esse custo", concluiu o magistrado. No caso concreto, as diferenças observadas tinham valores irrisórios, todos inferiores ao valor da quebra prevista na norma coletiva do operador, que era de R$ 33,39, na época dos fatos.

Cipa é uma comissão interna de prevenção de acidentes composta por representantes indicados pela empresa e membros eleitos pelos trabalhadores, com mandatos de um ano, permitida a reeleição. Os empregados eleitos membros da comissão adquirem estabilidade provisória, ou seja, não podem ser dispensados, desde o registro de sua candidatura até um ano após o final de seu mandato. A exceção se dá por motivo disciplinar, técnico, econômico ou financeiro, que deverá ser devidamente provado pela empresa.

Segundo o acórdão, tanto a doutrina quanto a jurisprudência já pacificaram o entendimento quanto à desnecessidade de ajuizar inquérito judicial para dispensar o membro da Cipa. Neste caso, a empresa pode rescindir o contrato e alegar justa causa ao se defender de ação eventualmente proposta pelo trabalhador. No caso concreto, o ajuizamento do inquérito judicial foi considerado abuso do direito de ação pela empresa, que incidiu em dano moral ao expor o trabalhador. (Nº. do processo: 0131100-82.2009.5.01.0043).


............
Fonte: TRT1

Rodney Silva
Jornalista - MTB 14.759

BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Flickr
Istagram
Facebook
Twitter
RÁDIO OAB/RS
Rádio OABRS
MAPA DO SITE
Abrir
(51) 3287.1839
Redação JO: Rua Washington Luiz, 1110, 13º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS   |   comsocial@oabrs.org.br
© Copyright 2017 Ordem dos Advogados do Brasil Seccional RS    |    Desenvolvido por Desize

ACESSAR A CONTA


OABRS:   *
Senha:   *
Esqueci minha senha  |  Novo cadastro