|   Jornal da Ordem Edição 3.280 - Editado em Porto Alegre em 22.08.2019 pelo Departamento de Comunicação Social da OAB/RS
|   Art. 133 - O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. Constituição Federal, 1988
NOTÍCIA

19.06.07  |  Previdenciário   

MPF/RS denuncia ex-administradora que sacava dinheiro de pessoas já falecidas

O Ministério Público Federal em Erechim (RS) ofereceu denúncia à Justiça Federal contra Lucy Mery Tagliari, ex-administradora da Sociedade Beneficente Jacinto Godoy, também conhecida como Lar do Velhinhos,  por ter sacado benefícios de titularidade de 58 ex-internos já falecidos.

Além disso, o Ministério Público Federal requereu o arresto dos bens móveis e direitos, tanto de Lucy quanto de seu filho Daniel Tagliari, a fim de garantir a totalidade dos créditos desviados, a serem quantificados através de cálculo do INSS.

Segundo o procurador da República Mário Sérgio Ghannagé Barbosa, a fraude ocorreu entre 1987 e 2006. O procurador explica que Lucy Mery Tagliari trabalhava no Lar desde 1983, passando ao cargo de administradora a partir de 1987.

Ela se utilizava de aproximadamente 15 idosos, que se passavam pelos ex-internos já falecidos, a fim de renovar os seus cadastros junto ao INSS, agências bancárias e nos cartórios, além de valer-se de procurações a ela outorgadas.

Testemunhas ouvidas pela polícia informaram que, geralmente, quando os internos do Lar dos Velhinhos morriam, Lucy Mery ficava com seus documentos pessoais, entre eles, o cartão de benefício de aposentadoria, que utilizava para continuar a receber a aposentadoria dos falecidos. Quando era necessário renovar o cadastro referente às aposentadorias, ela levava outros internos no lugar dos que haviam falecido, obrigando-os a assinarem os documentos.

O Ministério Público Federal requereu, ainda, à Justiça Federal que seja oficiado ao Detran, requisitando-se informações sobre a existência de veículos em nome dos requeridos e para o Banco Central, a fim de que forneça a relação de todas as instituições financeiras em que eles sejam correntistas, além do bloqueio de todos os bens e direitos da denunciada e de seu filho, a fim de satisfazer o rombo causado à Previdência Social. (Com informações do MPF-RS).

Rodney Silva
Jornalista - MTB 14.759

BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Flickr
Instagram
Facebook
Twitter
RÁDIO OAB/RS
Rádio OABRS
MAPA DO SITE
Abrir
(51) 3287.1800
Redação JO: Rua Washington Luiz, 1110, 13º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS   |   comsocial@oabrs.org.br
© Copyright 2019 Ordem dos Advogados do Brasil Seccional RS    |    Desenvolvido por Desize

ACESSAR A CONTA


OABRS:   *
Senha:   *
Esqueci minha senha  |  Novo cadastro