|   Jornal da Ordem Edição 2.950 - Editado em Porto Alegre em 24.11.2017 pelo Departamento de Comunicação Social da OAB/RS
|   Art. 133 - O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. Constituição Federal, 1988
NOTÍCIA

07.03.17  |  Concursos   

Estudante de medicina, que participou de programa na atenção básica, ganha acréscimo na nota para residência, diz TRF4

O edital de abertura da residência foi publicado em agosto de 2015. Ele previa a possibilidade do adicional para os candidatos que indicassem, no ato da inscrição, a participação no Provab.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmou que a participação no Programa de Valorização do Profissional de Atenção Básica (Provab) deve aumentar em 10% a nota de uma estudante de medicina candidata à residência médica em cirurgia plástica. O processo seletivo do curso de Cirurgia Plástica da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre foi promovido pela Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs) e pela Fundação Universidade Empresa de Tecnologia e Ciências (Fundatec).

O edital de abertura da residência foi publicado em agosto de 2015. Ele previa a possibilidade do adicional para os candidatos que indicassem, no ato da inscrição, a participação no Provab. Criado pelo Ministério da Saúde, para incentivar médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas a atuarem na Atenção Básica, o programa foca nos municípios com carência de profissionais em áreas de extrema pobreza e periferias das regiões metropolitanas.

Entretanto, alguns meses depois, a Fundatec divulgou uma retificação no edital de abertura, excluindo a possibilidade do plus nos cursos de residência com pré-requisito. Segundo a coordenação do processo, essa alteração deu-se por causa de um ofício do Ministério da Educação (MEC). A autora ingressou com a ação na 5ª Vara Federal de Porto Alegre alegando que a mudança seria ilegal, uma vez que a Lei 12.871/13, que instituiu o Programa Mais Médicos, assegurou o benefício.

Em 1ª Instância, a candidata obteve uma liminar que permitiu a complementação da nota, que depois foi confirmada na sentença. A ação chegou ao TRF4 para reexame. O relator do caso na 3ª Turma, desembargador federal Ricardo Teixeira do Valle Pereira, manteve a sentença. Conforme o voto do magistrado, o adicional de 10% é uma garantia da lei do Mais Médicos, não podendo o edital ou a resolução retirar direito expressamente previsto.

5072394-83.2015.4.04.7100/TRF

Fonte: TRF4

BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Flickr
Istagram
Facebook
Twitter
RÁDIO OAB/RS
Rádio OABRS
MAPA DO SITE
Abrir
(51) 3287.1839
Redação JO: Rua Washington Luiz, 1110, 13º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS   |   comsocial@oabrs.org.br
© Copyright 2017 Ordem dos Advogados do Brasil Seccional RS    |    Desenvolvido por Desize

ACESSAR A CONTA


OABRS:   *
Senha:   *
Esqueci minha senha  |  Novo cadastro