|   Jornal da Ordem Edição 3.297 - Editado em Porto Alegre em 16.09.2019 pelo Departamento de Comunicação Social da OAB/RS
|   Art. 133 - O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. Constituição Federal, 1988
ARTIGO

05.06.07  |  Leila Cordeiro   

Elas querem é poder

Por Leila Cordeiro,
jornalista

O maior escândalo sexual da história da humanidade talvez tenha sido o romance proibido entre Adão e Eva. Certamente, Eva não resistiu à cantada de Adão porque ele, por ser o único varão, era o todo poderoso da época. Acabaram expulsos do paraíso, mas deixaram muitos herdeiros através dos séculos.

De lá para cá, incontáveis reis, príncipes, governantes, políticos de toda espécie protagonizaram escândalos sexuais.

A verdade é que o homem precisa a todo momento provar sua virilidade e os que têm o poder nas mãos não estão livres de cair em tentação. As mulheres, por sua vez, atraídas pelo poder, quando aceitam esse tipo de relacionamento, se sentem também poderosas.

Antes de falar do Brasil, vamos relembrar dois envolvimentos que balançaram as estruturas da conservadora sociedade Americana. O suposto romance entre a atriz Marylyn Monroe e o presidente Kennedy . Quando cantou aquele célebre “Parabéns pra Você”, num tom meloso e intimista, numa festa de aniversário de JFK, a atriz levantou ainda mais suspeitas sobre o romance proibido. Mais recentemente, a estagiária Mônica Lewinsky quase derrubou do cargo o então Presidente Bill Clinton. A nação tremeu diante dos detalhes da intimidade do casal clandestino em pleno Salão Oval da Casa Branca.

Nosso "patropi", conhecido por exalar sensualidade com suas paisagens afrodisíacas e mulheres e homens de corpos sarados, tem tudo para compor um cenário de liberdade e descontração que contribui para as relações extra-conjugais. E os nossos poderosos de ocasião não estão livres da tentação e volta e meia se sabe de envolvimentos que sacodem o Planalto Central.

No passado, antes do Planalto, as vedetes eram as preferidas dos presidentes. Virginia Lane, que se intitula ainda “a vedete do Brasil” não nega ter tido um relacionamento amoroso com Getulio Vargas e exagera quando desmente a versão histórica do suicídio do ex-presidente. Em entrevista recente, ela diz que estava com Vargas no quarto quando ele foi assassinado por homens encapuzados. Essa informação final da ex-vedete corre por conta da idade avançada ou pelo desejo de voltar à midia.

De Jango se sabe que visitava na calada da noite, em Copacabana, o apartamento de uma outra conhecida (na época) vedete do teatro rebolado. Juscelino Kubitscheck também deu seus pulinhos. Tudo muito inconsequente e sem deixar provas concretas, como um filho, por exemplo.
Entre os políticos em atividade, o caso mais badalado é o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que teve um filho de um romance extra-conjugal com a então repórter da Globo em Brasília, Miriam Dutra, quando era ainda ministro da Fazenda do governo Itamar Franco. Para abafar o caso que poderia prejudicar sua candidatura à presidência, FHC conseguiu que a jornalista fosse mandada para a Europa onde teve o filho e lá ficou por muitos anos.

Agora a bola da vez é o presidente do Senado, Renan Calheiros. O romance clandestino também com uma jornalista de Brasília resultou num filha. Renan assumiu a paternidade e paga uma boa pensão à mãe e à filha de três anos. O problema é que a pensão que ele paga é maior do que seu salário como senador, uma mágica que só os políticos conseguem fazer. Agora já tem envolvimento da empreiteira Mendes Junior, fazendas em nomes de laranjas, enfim um baita escândalo que deve terminar com a cassação do mandato dele, a não ser que seus colegas o protejam.

Vamos ver no que vai dar mais essa apimentada história da Corte que reúne três ingredientes fantásticos: poder, traição e corrupção.
........................

(*) Artigo originalmente publicado em Direto da Redação, saite editado em Miami (EUA). Leia ali, também:

* Ditador sob pele de democrata, de Antonio Tozzi - Colunista critica a ingerência de Hugo Chávez nos assuntos internos de outros países e prevê o que pode acontecer se ele não for contido a tempo.

* Chávez e os papagaios brasileiros, de Claudio Lessa - O mais recente ato de insanidade política e mental de Chávez foi fechar uma emissora de tevê de oposição e chamar de "papagaios" nossos senadores.

* A segunda batalha das idéias, de Mair Pena Neto - O presidente da Venezuela está novamente sob bombardeio midiático, mas é preciso saber dos interesses dos que falam de liberdade de imprensa.

* Drama no picadeiro, de Carla Marques - O dramático ´adeus à democracia midiática´, no episódio do fechamento da RCTV na Venezuela, traz ironias e exageros da imprensa nacional.

* Big Bang ou Bangue-Bangue?, de Roberto Porto - Colunista visita um analista depois de ler a última coluna do José Inácio Werneck sobre o surgimento do universo. Veja o que o analista recomendou.

* Uma lição de cidadania no exterior, de Rui Martins - Emigrantes brasileiros fazem manifestações no fim-de-semana, diante dos Consulados brasileiros, em favor da nacionalidade de seus filhos.

BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Flickr
Instagram
Facebook
Twitter
RÁDIO OAB/RS
Rádio OABRS
MAPA DO SITE
Abrir
(51) 3287.1800
Redação JO: Rua Washington Luiz, 1110, 13º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS   |   comsocial@oabrs.org.br
© Copyright 2019 Ordem dos Advogados do Brasil Seccional RS    |    Desenvolvido por Desize

ACESSAR A CONTA


OABRS:   *
Senha:   *
Esqueci minha senha  |  Novo cadastro