|   Jornal da Ordem Edição 2.945 - Editado em Porto Alegre em 17.11.2017 pelo Departamento de Comunicação Social da OAB/RS
|   Art. 133 - O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. Constituição Federal, 1988
NOTÍCIA

24.10.17  |  Diversos   

TRF4 confirma legalidade em contrato de credenciamento firmado por União e laboratório

Em ação popular ajuizada em 2015, uma empresária alegou que a União agiu ilegalmente entre os anos de 2011 e 2015, quando contratou, sem licitação, o laboratório para prestar serviços ao 5º Regimento de Carros de Combate (5ºRCC).

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmou sentença que considerou legal a União contratar um laboratório de análises clínicas sem abertura de processo licitatório. O entendimento foi de que o contrato firmado por credenciamento respeitou todos os requisitos legais.

Em ação popular ajuizada em 2015, uma empresária alegou que a União agiu ilegalmente entre os anos de 2011 e 2015, quando contratou, sem licitação, o laboratório para prestar serviços ao 5º Regimento de Carros de Combate (5ºRCC). Ela afirmou que o processo licitatório era necessário, já que existem várias empresas que prestam o serviço, pediu a anulação dos contratos, e que a empresa devolvesse os valores pagos.

A Justiça Federal de Curitiba (PR) julgou a ação improcedente. De acordo com a sentença de primeiro grau, a União não cometeu ato ilegal, pois contratou o laboratório por credenciamento, modalidade de contratação que não visa à competição entre as empresas, mas na qual o beneficiário escolhe entre os profissionais credenciados para realizar o serviço, e a Administração realiza o pagamento. A sentença explica, ainda, que esse tipo de contrato respeita os princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e igualdade.

A ação veio ao TRF4 para reexame, e a 4ª Turma manteve a decisão por unanimidade. Para o relator do caso, desembargador federal Rogerio Favreto, o credenciamento oportuniza a formalização de contratos com a Administração Pública a todos os interessados que atendam às condições estabelecidas: “Não se constata o direcionamento da contratação para uma empresa, mas a oportunização para a formalização de contratos com a Administração Pública a todos os interessados, tanto é que a ré não foi a única empresa a ser contratada, sendo legal o procedimento adotado”, concluiu o magistrado.

5060490-75.2015.4.04.7000/TRF

Fonte: TRF4

BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Flickr
Istagram
Facebook
Twitter
RÁDIO OAB/RS
Rádio OABRS
MAPA DO SITE
Abrir
(51) 3287.1839
Redação JO: Rua Washington Luiz, 1110, 13º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS   |   comsocial@oabrs.org.br
© Copyright 2017 Ordem dos Advogados do Brasil Seccional RS    |    Desenvolvido por Desize

ACESSAR A CONTA


OABRS:   *
Senha:   *
Esqueci minha senha  |  Novo cadastro